11 de agosto de 2022

CAIO APACHE VIP II MERCEDES-BENZ OF-1722M VIAÇÃO SANTA BRÍGIDA

Quão estranho seria se todas as lojas do shopping tivessem que usar as mesmas placas de identificação, com a mesma vitrine. Quão chato seria se todas as roupas fossem iguais, quão chato seria se todas as garrafas de refrigerantes fossem iguais. Pois bem isso acontece com o transporte público de passageiros por ônibus em quase todas as cidades do Brasil (maldito quem inventou).

É a mesma coisa que tomar Dolly Cola em Garrafa de Coca-Cola, o sistema de padronização de frota que recentemente atingiu a cidade do Rio de Janeiro acabou com a diversidade e claro com o direito de escolha e direito de saber o que o usuário está pagando. A pintura padronizada tira a identidade da empresa, obrigando boas empresas a terem a mesma identidade que aquela empresa ruim que não cuida da frota, não faz manutenção e não está nem ai com o seu cliente.

Em 2009 eu criei uma série de desenhos na qual eu denominei “FUTURO DISTANTE IMPOSSÍVEL” onde através de desenhos imaginei como seria a pintura das empresas que operam o sistema de transportes da cidade de São Paulo.

Com a pintura própria as pessoas poderiam saber que quem gerencia o sistema é a SPTrans mas quem opera é uma empresa privada e que a empresa que opera que deve prestar um bom serviço ou então a população exigir a sua retirada e uma nova empresa no lugar.

Recentemente no Facebook foi publicada uma foto-montagem com a pintura que imaginei que seria da Viação Santa Brígida caso fosse liberada a pintura de frota própria.

Abaixo o desenho com o que poderia ser a pintura da VSB, lembrando que a pintura foi apenas uma releitura da pintura usada pela Urubupungá Turismo.